VOLTANDO PARA A ESCOLA APÓS O DIAGNÓSTICO DE DIABETES

 

diabetes-escola

O retorno à escola ou mesmo o primeiro dia de aula, no caso das crianças mais novas, geralmente é cercado de expectativas e uma boa dose de ansiedade, por parte dos pais ou responsáveis, mas também da criança.

É importante procurar passar um sentimento de confiança à criança e para que tudo corra bem, deve ser bem planejado!

O RECONHECIMENTO DA ROTINA ESCOLAR

É uma boa ideia conversar previamente com a escola, a fim de esclarecer a nova situação da criança e definir uma possível data para a orientação aos funcionários que estarão em contato com a criança.

Se a escola já teve ou tem outras crianças com diabetes será mais fácil a orientação. Essa orientação poderá ser feita por algum profissional de saúde disponível ou por você mesmo.

Verificar se a escola tem um enfermeiro responsável ou outro profissional de saúde durante o horário em que a criança estiver na escola.

Nesse caso, ele poderá ser o principal responsável por auxiliar a criança ou realizar a aplicação de insulina ou testes, caso ela ainda não seja capaz.

Quando não houver um profissional da saúde disponível provavelmente será o professor, a pessoa indicada para realizar essas funções, uma vez  que ele é a pessoa  que estará mais em contato com a criança.

SOBRE OS SENTIMENTOS…

Algumas crianças se sentem à vontade para expor sua condição de diabéticos. Não se importam de fazer os testes e a aplicação de insulina à frente dos coleguinhas ou de qualquer pessoa. Outras, porém, sentem-se intimidadas e preferem esconder que têm diabetes ou pelo menos evitar realizar determinados procedimentos à frente de pessoas estranhas.

Qual é a característica do seu filho?  Seja ela qual for, deve ser respeitada e o professor deve estar ciente sobre qual a melhor forma de orientar a situação, o que deve ser combinado entre vocês (responsáveis, criança e escola), previamente.

Por outro lado, principalmente se o professor não tiver experiência anterior com crianças com diabetes, é provável que se sinta inseguro e com dificuldades para assimilar todas as informações necessárias.

Por isso tente facilitar a situação para ele. Explique resumidamente o que é o diabetes e quais são os cuidados que a criança deve ter para controlar a sua glicemia, e importante, leve por escrito as orientações. Veja as sugestões sobre isso mais abaixo.

Tenha em mente que ele, como você, também irá aprender aos poucos e entender melhor como funciona o controle do diabetes.

É muito importante manter uma boa comunicação com o professor/profissional de saúde da escola e estabelecer uma relação de confiança entre vocês que possibilite uma troca de informação e apoio dos dois lados.

Disponibilize mais de um meio de comunicação, e-mail, números de  telefones, mensagens para que sejam discutidas as dúvidas e possíveis problemas sempre que necessário.

Não se deve ter medo de discutir as dúvidas, os problemas e por vezes, erros. Manter uma atitude positiva em relação aos problemas é procurar as soluções! 

 

INFORMAR-SE SOBRE A ROTINA DOS HORÁRIOS DE LANCHE, INTERVALOS E EDUCAÇÃO FÍSICA                       

Discutir com o médico ou equipe de saúde, a rotina da criança na escola.

  • Horários em que a criança deverá realizar os testes e aplicação de insulina durante o período em que estiver na escola, em relação a lanche, refeição e atividades físicas.
  • Horários de educação física: qual deve ser a orientação para os testes, antes e depois dos exercícios e o que fazer conforme os resultados.

 

FAZER UMA LISTA DETALHADA SOBRE AS NECESSIDADES E A ROTINA DA CRIANÇA COM DIABETES NA ESCOLA

  • Nome da criança, idade, sala, professor, nome e telefone dos pais ou responsáveis, médico e serviço de saúde normalmente utilizado.
  • A rotina de medicação e testes na escola. Doses de insulina e horários de aplicação, horários de testes de glicemia.
  • Os sinais de hipoglicemia que a criança pode apresentar e o que fazer nessa situação.
  • Os sinais de hiperglicemia e o que fazer nessa situação.
  • Fazer uma lista própria para a educação física (para ficar com o professor).

MAIS SUGESTÕES PARA FACILITAR A ROTINA DA CRIANÇA COM DIABETES NA ESCOLA 

Discutir com a escola que poderá ser necessário, em algumas situações, algum intervalo extra para realização dos testes de glicemia e lanches.

Orientar a escola que em situações de hiperglicemia, a criança pode precisar ir ao banheiro mais frequentemente.

Definir com a equipe da escola um local onde a criança poderá realizar os testes e a aplicação de insulina, se necessário.

No caso da escola fornecer alimentação, deve-se discutir com o nutricionista responsável qual é o cardápio programado para cada semana. É importante que a criança possa alimentar-se com o seu grupo. Dessa forma, deve-se tentar adaptar o cardápio para a criança, se for necessário.

Pedir à escola que comunique previamente quando houver programação de festinhas para que seja possível planejar um lanche alternativo para a criança, caso seja necessário. Existem receitas de brigadeiros e outros doces alternativos para diabéticos.

Todos os profissionais que estarão em contato com a criança, professores, monitores, zeladores, devem estar cientes da sua situação da criança e como reconhecer sinais de hipoglicemia. Veja mais informações em A hipoglicemia

Além dos sinais e sintomas típicos da hipoglicemia as crianças podem ter formas particulares de demonstrar que estão com hipoglicemia.

Por exemplo, podem queixar-se de dor de cabeça, fome, frio ou simplesmente aparentarem irritação e nervosismo. Lembre-se de fornecer essa informação principalmente aos professores que estarão em maior contato com a criança.

O QUE LEVAR PARA A ESCOLA

  • Aparelho de glicemia e tiras.
  • Lancetador e lancetas.
  • Caderneta para registrar os resultados.
  • Insulina em bolsa térmica.
  • Lenços ou algodão com álcool.
  • Seringas, agulhas e canetas aplicadoras.
  • Suco não dietético, balas ou tablete de glicose para o caso de hipoglicemia.
  • Suprimentos extras (conjunto de infusão) para a bomba de infusão de insulina, quando ela for utilizada.

diabetes-criança-esportes

A EDUCAÇÃO FÍSICA E A CRIANÇA COM DIABETES

A criança deve fazer educação física como todos os outros alunos, mas o professor deve estar ciente que o aluno é diabético e que ele precisa seguir alguns cuidados para que tudo corra bem.

Cuidados para fazer a educação física com segurança

  • A criança deve fazer o teste de glicemia antes e após a atividade física.
  • Às vezes, pode ser necessária a realização do teste durante a educação física, se a criança não estiver se sentindo bem.
  • Caso os resultados sejam altos (250 mg/dl ou mais) ou baixos (100mg/dl ou menos) não deve ser feita a atividade física até que os níveis de glicemia estejam normalizados.
  • Deve ser seguida a orientação médica para cada caso (hipoglicemia ou hiperglicemia) que deverá estar na “lista” de orientações do professor.
  • Tomar bastante líquido.

Excursões e passeios

A criança deve participar das atividades fora da sala de aula como qualquer outro aluno. Excursões e passeios que vão ser realizados durante um dia exigem um planejamento mais simples que viagens mais longas.

Planejamento

  • Verificar qual o tipo de alimentação que será oferecida durante o passeio e os seus horários, ou se a criança levará o seu próprio lanche.
  • Verificar quais as atividades que a criança deverá participar e o horário de retorno.
  • Se necessário, discutir com o médico, previamente, dose e horários de aplicação da insulina conforme será a mudança da rotina nesse dia.
  • Fazer uma lista com os horários em que deverão ser feitos os testes, os lanches ou refeições e as doses de insulina; explicar à criança e ao adulto responsável.
  • Se a criança tiver condições, ela fará os testes e a aplicação de insulina com a supervisão do adulto. Se não, ele deverá fazê-lo.
  • Preparar uma bolsa térmica com insulina, canetas ou seringas, glicosímetro, lancetador e insumos para os testes.
  • Levar documento de identificação da criança, identificação que é diabética, com os seus principais dados pessoais, dos seus responsáveis, do seu médico e sua medicação.
  • Levar documento do SUS ou convênio de saúde, se tiver.
  • Caso a criança tenha enjoos em viagens, medicá-la com o seu medicamento de uso habitual, cerca de uma hora antes de viajar e orientar para que o mesmo seja feito na volta.

Ficou alguma dúvida? Pergunte-nos ou faça seu comentário no espaço no final da página!

Mais informações

A hipoglicemia

O Diabetes Tipo 1 -Crianças, Adolescentes e Jovens com Diabetes

Entendendo o Uso de Insulina

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s