ENTENDENDO O USO DE INSULINA

insulina-entender-uso

O uso de insulina é necessário quando a produção de insulina pelo próprio corpo é insuficiente, muito baixa ou, praticamente inexistente.

Nesse caso, a aplicação de insulina deve ser feita diariamente para compensar sua falta no organismo.

A aplicação da insulina pode ser feita de várias formas, com o uso de seringas, canetas aplicadoras ou bombas de infusão de insulina.

Outras formas de administrar insulina têm sido estudadas como, por exemplo, as insulinas para inalar, orais (para tomar) e dérmicas (para absorção através da pele), mas ainda sem um resultado satisfatório para serem utilizadas pelos diabéticos.

Atualmente, as insulinas são fabricadas por meio de processos de engenharia genética, e tem características muito parecidas à insulina produzida pelo organismo humano.

Isso significa que a sua ação é melhor do que as insulinas produzidas há anos atrás. Além disso, existe uma maior variedade de insulinas que funcionam diferentemente e que são usadas para atender variadas situações durante o dia, facilitando o controle da glicemia.

DIFERENÇA DAS INSULINAS EM RELAÇÃO A SUA AÇÃO

A principal diferença entre os diversos tipos de insulina é o seu tempo de ação.

A ação das insulinas varia em relação

  • Ao tempo que demoram a iniciar sua ação no sangue para reduzir a glicose: INÍCIO.
  •  Ao tempo que demoram a atingir sua concentração máxima no sangue e sua ação máxima na redução da glicose: PICO.
  • Ao tempo total da sua ação no sangue com redução da glicose: DURAÇÃO.

As insulinas podem ter ação rápida, intermediária e longa. Ainda podem estar em forma de pré-mistura, também chamadas bifásicas, ou seja, duas insulinas com ações diferentes juntas.

Por exemplo, uma insulina 70/30 é uma combinação de 70% de insulina NPH (ação intermediária) com 30% de regular ou simples (ação rápida). É também chamada de pré-mistura porque já vem misturada.

Existe, também, um tipo modificado de insulina chamado análogo de insulina. O análogo de insulina ultrarrápido tem um início de ação muito rápido, sendo indicado para o uso próximo às refeições (antes, durante ou logo após à refeição) para o controle da glicemia pós-prandial (pós-refeição).

Já a insulina de ação basal, prolongada ou ultralonga tem uma ação mais lenta, durando de 8 a 24 horas, e é usada para manter a pessoa com insulina durante todo o dia, com um nível mínimo de insulina (nível basal), que será complementado com outra insulina, de ação rápida ou ultrarrápida, como a Humalog, Novorapid ou Apidra.

Veja no link a seguir você encontrará todas as informações sobre as insulinas, os seus nomes comerciais e seu tempo de ação no organismo.

Clique aqui para saber mais sobre os tipos de insulina : TIPOS DE INSULINAS-AÇÃO

O TEMPO DE AÇÃO DA INSULINA PODE VARIAR CONFORME A REGIÃO DO CORPO ONDE ELA É APLICADA.

As insulinas humanas podem apresentar uma diferença no seu tempo de ação conforme o local do corpo onde ela é aplicada. Isso ocorre porque elas são absorvidas mais rapidamente em uma região do que outra.

Já os análogos de insulina podem ser aplicados em qualquer das regiões do corpo recomendadas para a aplicação de insulina, porque segundo os estudos, aparentemente o seu tempo de absorção não está relacionado com o local onde é aplicada.

Insulina Humana: NPH, R e NPH+R

Absorção mais rápida Absorção mais lenta
     Abdomen (barriga)      Coxa e nádegas (bumbum)

Por isso, nos horários de refeição, quando necessitamos de uma ação mais rápida da insulina, devemos fazer a aplicação na barriga se estivermos usando insulina R ou as pré-misturas (R+NPH) que são humanas.

Mas, por outro lado, se forem usadas insulina NPH ou misturas com NPH à noite e houver risco de hipoglicemia noturna, o local de aplicação escolhido deve ser a coxa ou nádega para garantir uma absorção mais lenta.

 

COMO GUARDAR E CONSERVAR A INSULINA

As insulinas tem boa estabilidade, isso significa que elas não estragam facilmente, mas para isso, devem ser conservadas adequadamente.

No quadro abaixo você encontrará informações de como conservar a insulina conforme a sua apresentação, isto é, se a insulina vem em frasco, caneta descartável ou recarregável. E ainda, quando já foi aberta ou quando guardada para estoque.

ORIENTAÇÃO PARA GUARDAR E CONSERVAR A INSULINA EM USO E EM ESTOQUE

INSULINA   CONSERVAÇÃO PERÍODO DE VALIDADE
Frasco, refil e caneta descartável, que ainda não foram abertas e serão guardadas para estoque, para o uso mais tarde        Em geladeira, em temperatura entre 2 e 8 graus

Manter em sua embalagem original

Validade escrita na embalagem 2 a 3 anos após a data de fabricação, de acordo com o fabricante
Frasco e caneta descartável em uso Em temperatura ambiente até o máximo de 30 graus ou entre 2 e 8 graus, quando mantida na geladeira Validade de 4 a 6 semanas após a abertura. Verificar as instruções do fabricante, no manual
Caneta recarregável em uso Em temperatura ambiente até o máximo de 30 graus Validade de 4 a 6 semanas após a abertura. Verificar as instruções do fabricante, no manual

Informações importantes sobre a conservação das insulinas

  • As canetas recarregáveis não devem ser guardadas na geladeira, pois podem ter seu sistema danificado.
  • Discutir com o médico ou equipe de saúde, sobre qual é a melhor forma para conservar a insulina em uso, no caso do uso de canetas recarregáveis, quando a temperatura ambiente estiver acima dos 30 graus.
  • As insulinas não podem ser congeladas, por isso devem ser mantidas longe do congelador. Devem ser guardadas na gaveta de verduras ou próxima a ela, que é o lugar onde geralmente a temperatura mantém-se entre 2 a 8 graus. Guardá-las em sua embalagem original.
  • Durante o transporte de insulinas em bolsa térmica, não deixá-las em contato direto com gelo (reciclável ou comum), colocar algo para separá-los como, por exemplo, um papelão ou saco plástico dobrado, para prevenir risco de congelamento da insulina.
  • Deve-se evitar guardar a insulina na porta da geladeira, porque neste local a temperatura pode variar muito, dependendo da frequência em que a porta é aberta.
  • Verificar sempre o prazo de validade das insulinas que constam nas embalagens. Pode ser uma boa ideia, colocar uma etiqueta grande com o prazo de validade, para facilitar a visualização e lembrança, principalmente naquelas que estão com o prazo de validade mais próximo.
  • Identificar os frascos de insulina, canetas descartáveis e recarregáveis com uma etiqueta constando a data de abertura e a data em que acaba a validade.

Por exemplo:

Data de abertura: 08/06/2015           Data de vencimento:________   Contar 4 a 6 semanas da abertura, segundo a orientação do fabricante da insulina (consta no manual).

Ficou alguma dúvida? Pergunte-nos ou faça seu comentário no espaço no final da página!

Mais informações

Aplicação de Insulina – Guia Completo 

Diabetes tipo 1 – Crianças, Adolescentes e Jovens com Diabetes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s