ALIMENTAÇÃO E O DIABETES

alimentacao-diabetesÉ bom saber que a alimentação indicada para o diabético é, nada mais, nada menos, que uma alimentação saudável e variada, com um consumo equilibrado de carboidratos, maior consumo de hortaliças e verduras, frutas, carnes magras e peixes, em porções divididas entre várias refeições. Ou seja, a alimentação que todos deveriam consumir.

O açúcar pode ser usado em pequenas porções, com a orientação de um nutricionista, mas pode ser substituído por adoçantes em bebidas, sobremesas e produtos industrializados.

É importante que a alimentação do diabético seja a mesma que toda a família consome.

Todos irão lucrar com um melhor controle do peso e saúde, além de facilitar o controle do familiar com diabetes.

A consulta ao nutricionista pode facilitar o planejamento das refeições, que se baseia nas preferências da pessoa, em suas necessidades nutricionais em relação ao peso, altura, idade, atividade física, e no controle da glicemia.

A alimentação com contagem de carboidratos pode ser uma boa alternativa para melhorar o controle do diabetes.

Nesse plano de alimentação o nutricionista irá avaliar quais são as necessidades diárias da pessoa e calcular qual a quantidade de carboidratos necessária por refeição, uma vez que são os alimentos ricos em carboidratos os que mais alteram a glicemia. O diabético escolhe os alimentos que prefere em uma lista que indica as gramas de carboidratos de cada um e ajusta a dose de insulina de acordo com a quantidade de carboidratos ingerida.

O Índice Glicêmico  

Os alimentos têm capacidades diferentes para alterar a glicemia, podendo aumentá-la mais ou menos rapidamente. É o chamado índice glicêmico.

Alimentos que elevam pouco a glicose no sangue são considerados de baixo índice glicêmico. Os que elevam muito são os de alto índice glicêmico.

No entanto, o índice glicêmico de um mesmo alimento pode variar conforme as características diferentes de sua produção, preparo e consumo. Por exemplo, tomar suco puro de laranja faz subir a glicemia muito mais rápido do que comer a laranja com o seu bagaço. Comer uvas entre as refeições altera mais a glicemia do que comê-las logo após a refeição, quando a presença de outros alimentos no estômago retarda a absorção do açúcar da fruta.

Por isso, conhecer o índice glicêmico dos alimentos pode auxiliar no controle da glicemia, mas não é o suficiente. É muito importante levar em conta a quantidade de carboidratos ingerida a cada refeição.

A automonitorização da glicemia capilar (teste de ponta de dedo) é importante para você conhecer a alteração da sua glicemia ao consumir determinados alimentos.

Os Adoçantes

Os chamados adoçantes ou edulcorantes são substâncias usadas para substituir o açúcar dando um sabor doce às bebidas e alimentos.

Os adoçantes aprovados para consumo são: acessulfame K, aspartame, sacarina sódica e sucralose. Podem ser consumidos com moderação por adultos, gestantes e crianças.

O açúcar e outros carboidratos doces

O açúcar é um tipo de carboidrato que eleva rapidamente a glicemia. O açúcar que usamos no dia a dia é a sacarose. Existem, também, outros tipos de carboidratos, com gosto doce, que são calóricos e que elevam a glicemia.

Eles podem estar naturalmente presentes em alguns alimentos ou serem utilizados para adoçar certos alimentos e devem ser evitados pela pessoa com diabetes. Alguns desses carboidratos são

  • Glicose
  • Frutose
  • Maltose
  • Lactose
  • Dextrose
  • Maltodextrina
  • Açúcar invertido
  • Mel, xarope de milho, melaço, xarope de glicose.

Outros substitutos do açúcar

Os outros substitutos do açúcar são os polióis, geralmente encontrados nos produtos para diabéticos.

Os polióis tem uma digestão mais lenta e, embora sejam carboidratos, elevam menos a glicemia e são menos calóricos que o açúcar.

O consumo em maiores quantidades tem efeito laxativo e leva a formação de gases (flatulência).

É importante conversar com o médico, nutricionista ou equipe de saúde sobre o uso dos polióis.

Alguns polióis geralmente encontrados nos alimentos para diabéticos

  • Maltitol
  • Sorbitol
  • Manitol
  • Xylitol
  • Isomalte

Diet e light

Alimentos diet são os alimentos preparados sem determinados nutrientes para pessoas que necessitam de alguma dieta especial. Por exemplo, dietas sem glúten, sem açúcar, sem lactose ou sem sal.

Os alimentos diet não são, necessariamente, alimentos sem açúcar ou adequados para o diabético. Eles podem ser, caso haja a indicação na embalagem que é próprio para ser consumido por diabéticos.

Alimentos light são os alimentos com redução de calorias. Para isso devem ter uma redução de, no mínimo, 25% de algum tipo de nutriente ou de calorias em relação ao mesmo tipo de alimento normalmente preparado. Também não são alimentos específicos para o diabético, mas podem ser usados por eles se na embalagem constar a indicação de que é próprio para o consumo por diabéticos.

Os refrigerantes e bebidas que não contém açúcar geralmente têm o aviso de “sem açúcar” ou “zero açúcar” e, nesse caso, o açúcar é substituído por adoçantes não calóricos que não elevam a glicemia.

Porém, os sucos à base de concentrados ou polpa de frutas, contém os carboidratos da própria fruta os quais elevam a glicemia mesmo que não haja açúcar adicionado ao suco. Por isso deve haver um cuidado especial na ingestão desse tipo de suco.

Ler os rótulos das embalagens

É importante se acostumar a ler os rótulos dos produtos. Para ter certeza do que você está consumindo é preciso aprender a identificar os ingredientes dos produtos.

Produtos industrializados podem conter na sua preparação carboidratos que elevam a glicemia com outros nomes, além do açúcar, como os mostrados aqui, nas seções anteriores.

É importante, também, observar a quantidade de carboidratos nos rótulos dos produtos, principalmente para aquelas pessoas que utilizam um plano de alimentação baseado em contagem de carboidratos.

Os rótulos mostram o valor nutricional dos produtos. As informações apresentadas geralmente são o valor energético, a quantidade de carboidratos, gorduras, proteínas, fibras e sódio presentes no alimento.

No entanto, deve-se ter atenção em relação às medidas apresentadas. Os valores nutricionais mostrados podem não representar a quantidade presente no produto inteiro, mas apenas o correspondente, por exemplo, a uma porção, colher, unidade, fatia ou mesmo 50g ou 100g.

Os produtos identificados como diet, light, zero ou dietéticos devem ser verificados em relação à sua composição se há presença de açúcar ou outro tipo de carboidrato que possa elevar a glicemia.

Ficou alguma dúvida? Pergunte-nos ou faça seu comentário no espaço no final da página!

Mais informações

Bebidas e o Diabetes 

As Atividades Físicas e o Diabetes

Diabetes e o Sexo

Dirigindo com o Diabetes

Viajar com Diabetes

Diabetes, Infecções e outras Doenças

Anúncios

Uma resposta para “ALIMENTAÇÃO E O DIABETES

  1. Pingback: AS BEBIDAS E O DIABETES | diabetes sem dúvida·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s